Planejamento Financeiro Pessoal: fundamental em qualquer tempo

A- A+
28 de junho de 2022

Por Marcos Miranda, planejador financeiro

Se você já tem o hábito de fazer seu plano financeiro anual, meus parabéns! Isso é de fundamental importância para sua saúde financeira de curto e longo prazo. Mas, não basta fazer o plano. É preciso acompanhar seu progresso com uma lista de verificação sistemática que facilite a visualização de quais ações foram concluídas, quais as metas/objetivos foram alcançados e quais ainda você precisa dar andamento.

A checagem vai lhe permitir determinar onde você está financeiramente no momento. E para isto tem de considerar todos os seus ativos/receitas – quanto você recebe/ganha em suas atividades remuneradas, o quanto está em sua conta corrente, qual o montante dos seus investimentos, destacando quanto está em seu fundo de reserva de emergência e em seu fundo de aposentadoria. Também deve contemplar todos os seus passivos/despesas, não esquecendo empréstimos, cartões de crédito e outras dívidas como prestações de financiamento imobiliário ou aluguel, além das contas de serviços residenciais/pessoais (água, luz, telefone, celular, tv a cabo) e outras despesas mensais.

Com essas informações em mãos, você já pode chegar a um completo inventário financeiro pessoal. Se estiver disposto a evoluir um pouco mais, você pode calcular o seu Índice de endividamento pessoal = Dívidas mensais (passivo) / Receita mensal (ativo) x 100. Assim, pode medir quanto do seu orçamento está comprometido com dívidas, atentando que quanto mais alto for esse índice, maior o risco de incorrer em inadimplência. E, de forma complementar, isso também lhe permite conhecer se há alguma ‘sobra’ para destinar aos seus objetivos de investimento.

Afinal, se você não está com sua receita mensal totalmente comprometida com as despesas mensais significa que está atento ao seu plano financeiro e, de alguma forma, também tem metas/objetivos planejados, divididos em curto, médio e longo prazo.

De início, na checagem do seu plano financeiro jamais negligencie o seu fundo de reserva ou emergência financeira. Se tem uma coisa que aprendemos, em razão da pandemia do COVID-19, foi o quanto um fundo de reserva de emergência é útil quando os problemas financeiros surgem. Portanto, na sua checagem, avalie sua situação mais ampla como um todo e assegure-se de ter reservado os recursos adequados. Se você não tem um valor correspondente de três a seis meses de suas despesas mensais guardados, então construir seu fundo de reserva deve ser uma prioridade. Adicionalmente, invista em seguros de vida (ou invalidez temporária) para você e seu cônjuge. E mantenha procurações financeiras vigentes.

Durante a checagem do seu plano financeiro, não esqueça de revisar seus investimentos. Verificar a alocação dos seus ativos é altamente saudável. Afinal, seus investimentos atuais ainda se mostram adequados e aderentes aos seus objetivos?

Outro ponto importante na checagem do seu plano financeiro é a abordagem da questão tributária em relação aos seus investimentos. Certamente, você precisa considerar estratégias para obter maior ganho fiscal ou compensar prejuízos fiscais em investimentos.

Em relação ao seu plano financeiro, a depender do nivel de complexidade, há a opção de você mesmo criar e fazer a sua lista de verificação, ou contratar um planejador financeiro, que poderá lhe auxiliar nessa gestão, programando inclusive um rebalanceamento periódico de seu portfólio.

Nesse ultimo caso, certifique-se de contratar um profissional habilitado e veja os serviços que ele fornece, bem como os custos.

Uma organização financeira pessoal é essencial em qualquer tempo.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Capef (@capef.oficial)

Digite seu CPF abaixo, caso deseje pontuar no Programa Parceria Premiada