Plano CV I

A- A+

QUANTITATIVO

Descrição (MAIO/2018) Total
Participantes Ativos 5.461
Participantes Assistidos (Aposentados) 190
Beneficiários de Pensão 39
Total 5.690
Beneficiários Inscritos (Dependentes) 8.027
 


 

DESEMPENHO DOS INVESTIMENTOS (1) 

  Ativos MAIO/2018  No ano
Posição
(em R$ Mil)
Rentabilidade
(em %)
Em Relação
à Meta
Rentabilidade
(em %)
Em Relação
à Meta
  Renda Fixa 662.456,85 0,66 3,87
  Renda Variável 39.632,68 -10,17 -10,01
  Imobiliário (4) 31.837,51 -4,77 -1,76
  Investimentos no Exterior 16.986,98 1,42 1,90
  Operações com Participantes 47.423,58 0,81 4,09
  Total dos Investimentos 798.337,60
  Outros (2) -47,13
  Total dos Recursos Garantidores das Reservas
  Técnicas – RGRT (3)
798.290,46 -0,06 3,01
  IPCA + 5,25% a.a (Meta Atuarial) 0,83 3,49
  IPCA 0,40 1,33
  IMA B 5+ -4,65 0,37
  CDI 0,52 2,64
  IBRX50 FECHAMENTO -10,88 0,68
  IBOVESPA FECHAMENTO -10,87 0,46
  ÍNDICE FUNDO IMOBILIÁRIO- IFIX11 -5,27 -0,56  –
(1) Em 19 de maio de 2010 teve início o Plano CV I;
(2) Inclui o Disponível-Caixa e Passivo de Investimentos;
(3) Inclui o Disponível e os Investimentos, Deduzidos das Exigibilidades dos Investimentos;
(4) A Resolução (CMN) 4661/2018, publicada em 25/05/2018 estabeleceu novas regras para os investimentos dos fundos de pensão. Dentre elas, a criação de um novo segmento de investimentos, denominado “Imobiliário” e a extinção do segmento de “Imóveis”. Assim, os Fundos Imobiliários que antes faziam parte do segmento de “Investimentos Estruturados” agora fazem parte do segmento “Imobiliário”. Quanto ao estoque de imóveis pertencentes à carteira própria será considerado, para efeito de limites, dentro do segmento “Imobiliário”.
 


 

RENTABILIDADE

Rentabilidade do Plano CV I
Discriminação MAIO/2018 Acum/2018
   Rentabilidade dos Investimentos (1) -0,06% 3,01%
   Variação da cota previdenciária (1) -0,06% 2,99%
   Meta Atuarial (2) 0,83% 3,49%


Observações:
(1) Diferença entre a rentabilidade dos investimentos e variação da cota previdenciária: A variação do valor da cota previdenciária difere da rentabilidade dos investimentos, especialmente no inicio do plano, em função do descasamento de datas relativo à conversão dos aportes em cotas. Ou seja, os aportes são realizados na data própria para recebimento de obrigações dos Patrocinadores e Participantes, em geral dia 19 de cada mês, e o valor da cota utilizado na conversão desses valores é o apurado no primeiro dia útil de cada mês, gerando uma defasagem da ordem de 19 dias. Como os valores de aportes ainda são altos em relação ao patrimônio do plano, o impacto acaba ficando mais visível. A tendência é que o peso dos aportes diminua e, conseqüentemente, a diferença entre a variação do valor da cota previdenciária e a rentabilidade dos investimentos também reduza.
(2)IPCA + 5,25% ao ano. Cálculo feito com base no número de dias úteis.


Premissas Atuariais
Ano 2018
Índice de Correção Monetária do Plano CV I IPCA
Taxa Anual de Juros 5,25%
Tábuas Biométricas
Sobrevivências de Válidos do sexo masculino RP-2000 M Proj.2018 (Suavizada 20%)
Sobrevivências de Válidos do sexo feminino RP-2000 F Proj.2018 (Suavizada 20%)
Sobrevivência de Inválidos Experiência IAPC suavizada em 50%*
Entrada de Invalidez Muller Suavizada em 85%

* A suavização de uma tábua corresponde a um procedimento técnico que significa uma redução percentual das taxas de incidência da tábua original, com o objetivo de identificar a melhor aderência ao grupo de participantes.

 


 

RESULTADO ATUARIAL

Demonstração MAIO/2018 
Valores em R$ mil
   Patrimônio Líquido garantidor das Provisões Matemáticas (A) 772.420
   Provisões Matemáticas (B) 772.388
   Situação Atuarial (C) (-) déficit (+) superávit 32

(A) – Valor total dos ativos do plano subtraído ao valor dos passivos previdenciais, contingenciais e fundos do plano de benefício.
(B) – Valor relativo aos compromissos com Participantes, Assistidos e Beneficiários, segregados em provisões matemáticas de benefícios concedidos e a conceder.
(C) – Corresponde ao superávit ou déficit técnico do plano de benefício.