ESTUDO COMPROVA: A Capef faz cada vez mais… com menos!

A- A+
3 de setembro de 2021

Custo por Participante da Capef é o 2º menor em ranking da Previc

Ano a ano, a Capef vem apresentando resultados expressivos em diversas frentes. Significativa quantidade de novos aderentes, consequentes exercícios encerrados com rentabilidade acima da meta, recordes em aportes facultativos, índices de satisfação positivos.

Agora, além dos pontos mencionados acima, mais um indicador recente veio para mostrar que estamos no caminho certo. De acordo com o Relatório das Despesas Administativas 2020, publicado em julho pela Previc (órgão fiscalizador do setor de previdência complementar fechada), o custo por participante da Capef é um dos menores entre as entidades fechadas do país com ativos totais acima de R$ 2 bilhões.

Conforme benchmarking efetuado com 19 Entidades, a Capef finalizou o exercício de 2020 com um custo por participante de R$ 1.297,48, ocupando a segunda colocação no ranking, conforme demonstrado no quadro abaixo.

TAXA DE ADMINISTRAÇÃO MENOR DO QUE A MÉDIA

Ainda de acordo com o Estudo, o indicador da Taxa de Administração da Capef (custeio total sobre recursos garantidores) caiu de 0,31% em 2019 para 0,29% em 2020, sendo menor do que a média da Taxa de Administração do grupo em que se enquadra (em 2020 foi de 0,36% e 2019 0,42%) conforme o gráfico abaixo.

SOBRE O ESTUDO

Publicado anualmente pela Previc com o objetivo de fortalecer a transparência do setor, o relatório sobre as despesas administrativas das Entidades Fechadas de Previdência Complementar (EFPCs) chegou à sua décima edição em 2020.

O estudo oferece subsídios para o aprimoramento da gestão e busca do melhor equilíbrio operacional das fundações. Segundo a publicação, o Sistema Fechado de Previdência Complementar Brasileiro encerrou o ano de 2020 com ativos totais em torno de R$ 1,05 trilhão de reais, garantindo a proteção de mais de 7,6 milhões de pessoas.

“Este resultado é consequência de um trabalho histórico de controle de despesas, investimentos em pessoas, treinamento, inovação e tecnologia, evidenciando a eficiência na gestão dos seus planos previdenciários. Para a Capef, é importante pelo reconhecimento em termos de competitividade e competência. Para os participantes, são recursos que deixam de ser gastos na administração dos planos e são destinados a sua reserva previdenciária, incrementando o benefício dos participantes do Plano CV I, ou ainda contribuindo para a redução de sua contribuição, no caso dos participantes assistidos do Plano BD.

Continuaremos com a prática da racionalização administrativa, mas as perspectivas futuras nesse quesito se tornam ainda mais alvissareiras com a possibilidade de passarmos a realizar a gestão de outros planos, agregando um maior número de participantes, reduzindo ainda mais o custo por participante, e, portanto, tendo maiores ganhos de escala, em benefício de todos”.

 

Jurandir Mesquita

Diretor-Presidente

 

 

 

Matéria publicada na edição Nº 158 do Jornal Acontece